A network for students interested in evidence-based health care

Mais não significa necessariamente melhor

Posted on August 20, 2018 by Cochrane Brazil

Tutorials and Fundamentals

This blog is a Portuguese translation of the eighth in a series of 36 blogs, based on a list of ‘Key Concepts’ developed by an Informed Health Choices project team.   Read the English version here. With thanks to Marília Ferreira and Cochrane Brazil for the translation.


Parece lógico pensar que se um tratamento tem efeito benéfico, quanto mais for aplicado ainda maiores serão os benefícios. Entretanto, em relação à interveções terapêuticas, pode haver ‘excesso de algo positivo’. Receber a medida certa de um tratamento é como atingir a temperatura certa da água durante o banho.

Se você recebe pouco tratamento, seu problema não será resolvido; será desagradável como um banho frio. Receba muito tratamento e você poderá ser prejudicado, como quando você se queima em um banho muito quente. Tenha a quantidade certa de tratamento e seu problema começará a sumir; você se sentirá bem. Assim como em um banho com a temperatura certa.

Anti-histamínicos

Infelizmente, exceder-se no tratamento, às vezes, é mais sério que exagerar na temperatura do banho. Anti-histamínicos orais podem ser efetivos no tratamento da rinite alérgica sazonal, também conhecida como febre dos fenos (‘hay fever’). Tomar a dose certa, orientada por um médico, farmacêutico ou seguindo as sugestões da bula, pode melhorar o prurido dos olhos e melhorar a obstrução nasal. [1][2]

Porém, tomar demais pode ser perigoso. Usar muito anti-histamínico pode causar problemas cardíacos e afetar a coordenação [3]. Em muitos casos, as patologias cardíacas causadas podem ser fatais [4]. É por isso que testar os tratamentos é tão importante. Se os anti-histamínicos nunca tivessem passado por ensaios clínicos, ninguém saberia qual dose seria benéfica e qual seria prejudicial.

Vitaminas

E em relação ao que não é droga? Usar vitaminas, por exemplo. Vitaminas são essenciais para o funcionamento normal do nosso corpo. Você poderia usá-las de forma excessiva?

Vitamina D tem recebido atenção especial, segundo uma revisão de evidências do Comitê Científico Consultivo em Nutrição (SACN) [5]. A revisão sugere que, algumas pessoas, precisam de suplementação de vitamina D para assegurar melhor saúde de ossos e músculos. Uma revisão Cochrane recente evidenciou que essa suplementação provavelmente também reduz o número de episódios de asma severa, quando usado ao lado das medicações comuns para asma [6].

Assim como com os fármacos, você também pode usar suplementação de vitaminas de forma exagerada. Tomar muita vitamina D pode gerar muito cálcio acumulado em seu sangue. Isso pode prejudicar seus ossos ao invés de ajudá-los. Níveis elevados de cálcio podem também afetar seu coração e rins [7].

Câncer de Mama

A crença em que quanto mais tratamento melhor tem levado muitos pacientes com câncer de mama a receber tratamentos que causam prejuízos evitáveis [8]. Nos tempos iniciais do tratamento do câncer de mama, os médicos acreditavam que o câncer se disseminava lentamente de um lugar para outro. E através da remoção de uma área maior ao redor da mama, eles pensavam que a cirurgia seria mais eficaz. Alguns cirurgiões chegaram a remover os ovários das pacientes e até amputar braços do mesmo lado do câncer, em alguns casos, apenas porque pensavam que quanto maior a cirurgia, melhor seria o resultado. Graças às pesquisas feitas desde então, sabemos que cirurgias mutilantes são desnecessárias e que tratamentos menos extremos são efetivos. A aceitação dessas evidências foi provavelmente postergada pela mentalidade do ‘mais é melhor’ e, contudo, 150 cirurgias radicais de mama ocorreram no Japão recentemente em 2003. É importante que os profissionais de saúde e o público observem os perigos da mentalidade ‘mais é melhor’ para evitar prejuízos desnecessários.

Alcançando o ideal

Como os exemplos mostrados acima, saber “quanto” tratamento é necessário é muito importante. Testar os tratamentos nos possibilita observar o quanto necessitamos para atingir o efeito benéfico, enquanto evitamos os danos do excesso. É importante lembrar que aumentar a dose ou a quantidade de tratamentos frequentemente aumenta os danos, sem aumentar os benefícios.

Referências

Recursos

Read the rest of the Portuguese translations in the series here

Take home message:

Tags:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Subscribe to our newsletter

You will receive our monthly newsletter and free access to Trip Premium.